Quarta-feira, 22 de Junho de 2011

Vida de Carolyn: Two lovers - 21º Capítulo

Carolyn deixou-se levar e ele agarrou nela puxando-a para cima do balcão. Ele estava entre as suas pernas e tinha as mãos no pescoço dela e ela no peito dele. Carolyn tinha que controlar-se, aquilo não podia continuar. Ela contraiu os seus dedos contra o seu peito, deslocou os seus lábios dos dele, saltou para o chão e foi a correr para o quarto no andar de cima.

Abriu a porta num frenesim, trancou-a e respirou fundo. Quando se voltou para encarar Emily, ela não estava no quarto. “É melhor assim” pensou. De seguida houve alguém que bateu à porta. Era Dylan que estava agora constantemente a chamar o seu nome.

- Carolyn, deixa-me entrar. A sério… temos que falar – o seu tom de voz parecia calmo e sério.

- Não, agora não Dylan! – Carolyn sentou-se na cama e ficou a fitar a porta.

- Por favor! – passou a ficar mais exaltado – Abre a porta! – e confiante.

- Dylan, não! Eu preciso de pensar, sozinha.

- Mas eu posso ajudar-te a pensar!

- Não!!!

Dylan por fim calou-se. Ela podia até pensar que ele se tinha ido embora da beira da porta, mas ele era bastante previsível, não ia sai dali tão depressa.

Carolyn ficou deitada de barriga para o ar na sua cama a olhar para o tecto. Nunca tinha estado tão confusa, e sentia-se cada vez mais. Dylan não ia de modo algum ajuda-la a decidir o que sentia. Mas uma coisa Carolyn tinha a certeza, tinha de arranjar maneira de esquecer Dylan. Era Dave quem ela amava verdadeiramente.

Carolyn ouviu passos no corredor e pensou logo que fosse ele.

- Dylan, já te disse para saíres de ao pé da porta!

Do outro lado da porta, Dylan estava sentado no chão ao lado desta e Emily tinha acabado de chegar do escritório - tinha ido falar com o seu pai sobre um concerto que queria ir. Ele fazia-lhe sinais para que ela não o denunciasse. Dylan levantou-se e foi sussurrar ao ouvido de Emily:

- Finge que eu não estou aqui. Diz-lhe que és tu e para ela te abrir a porta. Quando ela abrir eu entro – disse-o tão baixinho que Emily quase que não o ouviu.

- Dylan, eu não posso fazer-lhe isso… ela vai matar-me! – sussurrou Emily.

- Faz isso pela felicidade do teu maninho. Vá lá… - Emily assentiu e Dylan sorriu. Ele encostou-se à parede junto à porta preparando-se para entrar.

- A… Carolyn? Sou eu a Emily – mordeu o lábio e olhou de seguida para Dylan.

- O Dylan já não está aí?

- Não. Ele foi para o quarto – Dylan sorriu ladinamente olhando para os seus pés e depois voltou a focar o olhar na porta.

Carolyn abriu a porta e Dylan avançou rapidamente para dentro do quarto antes que ela pudesse dizer alguma coisa. Fechou a porta atrás dele e agarrou-lhe nos ombros fazendo-a defrontar os seus olhos com os dele.

- Precisamos de falar, Carolyn. E não refiles! – ele respirou fundo baixando o olhar para os próprios sapatos – era um simples gesto bastante próprio dele quando precisava de se concentrar – e de seguida levantou o olhar para os olhos de Carolyn que se encontravam apinhados de angustia – O que é que se passa?

- Dylan, eu…

Naquele momento o telemóvel de Carolyn tocou. Os dois olharam automaticamente para este que estava pousado em cima da cama. Dylan rapidamente viu no ecrã quem lhe ligava. Agarrou no telemóvel num gesto rápido e atendeu.

- Está?

- Estou, Carolyn? – era Dave, que tinha conseguido ligar-lhe. Carolyn assim que ouviu a voz de Dave começou desesperadamente a tentar tira-lhe o telemóvel.

- Ouve, a Carolyn agora, não pode atender – respondeu Dylan.

- Dylan! Dá-me já isso! – Carolyn pulou para as suas costas depois de tentar alcançar o telemóvel saltando – porque o facto de Dylan ser um pouco mais alto que ela dificultava-lhe a tarefa. Ele contorcia-se para que ela não o vencesse e ela acabou por não o conseguir deter.

- Liga quando NÃO tiveres rede, ok? – disse ele ironicamente desligando o telemóvel logo a seguir.

- Tens consciência do que acabas-te de fazer, Dylan?! – Carolyn estava mesmo enraivecida – Estive semanas à espera que pudéssemos falar porque ele nunca tem rede!

- Agora é o NOSSO tempo!

Carolyn respirou fundo e contou até três.

- Sabes que não te vou perdoar por esta, não sabes?

- Não quero saber – Dylan continuou sério mas um pouco mais calmo – Eu quero falar contigo, sobre NÓS. Esquece o mundo lá fora, Carolyn! Esquece o Dave! – por momentos fez-se silêncio, um silêncio constrangedor. Dylan continuava a olha-la de forma desconfortante, mas parecia não se incomodar com isso. Carolyn obrigou-se a desviar o olhar, para ela era inquietante e desconfortável quando ele a olhava assim. Ele parecia que lhe conseguia ler os pensamentos olhando-a daquela maneira, confiante e sem medos. Ela obrigou-se a olhar para ele novamente percebendo que ele estava à espera que ela falasse. Por fim disse:

- Eu amo-te Dylan, mas não és só a ti.

- É também ao Dave não é? – Carolyn assentiu e ele voltou a baixar o olhar para os próprios sapatos – Porquê ele?

Carolyn soltou uma risadinha irónica e mordeu o lábio.

- Porquê TU, Dylan? – Dylan sentiu um aperto no coração e ela sentiu culpa por estás a dizer aquilo de uma forma tão áspera - Era suposto eu só gostar do Dave.

- Se calhar estamos destinados a ficar juntos – riu-se pouco convincentemente para tentar ficar mais à vontade – Eu gosto mesmo de ti Carolyn, e queria tanto que sentisses o mesmo por mim. Não sei bem se o que sentes agora é tão forte quanto o que eu sinto, mas ao menos sente-lo. Mas tinha que haver outro gajo qualquer antes de mim!

- Dylan…

- Porque é que não ouves o teu coração e escolhes quem queres realmente? Não podes decidir ficar com ele só porque é teu namorado e porque vocês têm uma história! – pronunciou o final da frase com um grande desdenho.

- Eu… eu sinto-me tão confusa! Quem me dera não estar assim agora!

- Queres dizer: quem me dera não me ter apaixonado por ti, Dylan. Certo? – a sua voz a soava agora grave e arrogante mas não falou alto, limitou-se a manter o volume mas a mudar a entoação.

Carolyn olhou em volta inspirando o ar e depois expirando-o desregulamente quase soluçando devido aos nervos. Começava agora a tentar evitar o olhar dele para não ter de sentir culpa, para não ter de ver a sua expressão de pura angústia diante dos seus olhos.

- Não respondes porque sabes que é verdade, não é Carolyn?

- Eu… eu gosto mesmo muito de ti Dylan… mas não pode ser assim. Não pode MESMO ser assim!

- Não achas que é injusto que tenha estado imenso tempo à espera de um beijo teu e de palavras como as que disseste ainda há bocado e quando finalmente acontece, dizes que tens de me esquecer?! – ele ia-se aproximando dela, com uma voz grave e convincente. Era como se aquelas palavras tivessem vida própria e a estivessem constantemente a atacar desfazendo-a em pequenos pedaços. E Carolyn não tinha como reagir. Estava impotente. Ele queria deixar bem claro que ela tinha errado.

- Dylan, a culpa não é minha! Tu provocavas-me, tu querias que eu me deixasse levar por ti. E olha bem o que aconteceu! Eu deixei-me levar demais por ti, apaixonei-me! Pronto, não era isso que querias? Arriscaste-te a que eu pudesse ficar hesitante. E foi o que aconteceu! E agora? Que queres que faça?! Que deixe a pessoa que amei durante mais de que um ano para trás para ficar contigo? – Carolyn passou com a língua nos lábios agora secos. Respirou fundo e continuou mais calma – Não estás a ajudar, Dylan. O que posso eu fazer? A decisão não é tua, não é do Dave, é minha! – as lágrimas começaram a assomarem-se aos seus olhos. Tentava por tudo não chorar.

- Desculpa… Não pensei nisso. A sério que não – ele aproximou-se dela e abraçou-a. Eles deixaram-se ficar abraçados.

 

Desculpem a demora pessoal mas teve q ser assim :( Mas pronto, já cá está o capitulo!  Queria dizer tambem que vou ja hoje para o Algarve e portanto vou tentar deixar um capitulo para o postar automaticamente... mas n prometo nada. Espero q tenham gostado ^^

sinto-me: ULTIMO DIA DE AULAS!
publicado por Anna às 01:49
link do post | comentar | ver comentários (20) | favorito
Sábado, 18 de Junho de 2011

Divulgação e conversinha ^^


Olá pessoal! XD

Queria fazer uma divulgação do blog: http://just-you.blogs.sapo.pt/  que é tipo... absolutamente fantástico :O! E digo isto porque eu leio-o e amoo :3 ! Ela escreve muitissimo bem e também desenha *-*. Sim, porque ela de vez em quando faz um desenho para ilustrar o blog! Por favor passem por lá! É das melhores histórias que já li! (Não estou a brincar... é mesmo!) ^^


Sobre a história -.- ... eu sei, e sei, e sei, que não posto à uma porrrrrrada de tempo! Mas têm de entender que foram as ultimas semanas de aulas e agora que já não tenho mais porcarias da escola pra me darem conta do juízo e portanto vou postar muito muito! Amoooo-vos muito muito e quero que saibam que estou muito contente com os comentarios... fazem-me muito feliz! ^^


kisses 4every 1<3


sinto-me: finally it's over (test/trab)
publicado por Anna às 00:31
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Vida de Carolyn: Two Love...

. I'm back

. Vida de Carolyn: Two Love...

. Vida de Carolyn: Two love...

. Vida de Carolyn: Two Love...

. Vida de Carolyn: Two Love...

. Vida de Carolyn: Two love...

. Divulgação e conversinha ...

. Vida de Carolyn: Two love...

. Vida de Carolyn: Two love...

.arquivos

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

blogs SAPO

.subscrever feeds