Segunda-feira, 28 de Março de 2011

Vida de Carolyn: Two Lovers- 10º Capítulo



 

 - Só se vieres ao banho.

- Nem penses! – Dylan saiu de cima dela e ela sentou-se na toalha – A água ‘tá um gelo!

- Anda lá! – Dylan puxou Carolyn pelo braço e ela levantou-se.

- Eu não vou!

- Vais, vais! – Dylan começou a empurra-la e ela fazia força com os pés na areia para não sair dali.

- Não me vais meter dentro d’água!

- Á isso é que vou! – Dylan pegou em Carolyn ao colo e correu com ela para a água.

- Larga-me! – Dylan continuou a correr e logo de seguida mergulharam na água.

Dylan ainda a agarrava dentro de água quando Carolyn se soltou dele.

- És mesmo parvo! – disse Carolyn a rir-se e a tirar a água do cabelo.

- Ah, ah, ah. Para a próxima ainda faço pior.

- Experimenta! – Carolyn fez-lhe um sorriso traquina.

- Podes apostar.

Emily levantou-se da toalha e aproximou-se.

- E que tal se fossemos comer um gelado?

- Ali ao bar? – perguntou Carolyn.

- Yah.

Eles atravessaram a praia e finalmente chegaram. Compraram os gelados e sentaram-se na esplanada. Carolyn e George pediram um corneto nã sei se na América à alguma cena parecida aos cornetos mas tud bem XD e Dylan e Emily um gelado de pau. Dylan e Carolyn estavam sentados lado a lado, e George e Emily a mesma coisa. Estavm todos a falar quando Dylan vira-se para Carolyn e diz com um sorrisinho ligeiro:

- Tens a boca toda suja.

- A sério?! – disse ela sendo sarcástica.

- Yah. E aqui também. – disse Dylan apontando para o nariz dela que não estava sujo.

- O nariz não está sujo, seu tolo!

- Pois não. Mas está agora! – e dito isto Dylan espetou-lhe o gelado no nariz. Carolyn sorriu e também lhe fez o mesmo. Ficaram os dois a rir à gargalhada a olhar para a cara um do outro. As pessoas à sua volta ficavam boquiabertas a olhar para aqueles dois na palhaçada.

Enquanto se estavam todos a rir, alguém apareceu por trás de Emily e pousou-lhe a mão no ombro. Emily olhou para trás e viu Kate e Harry. Os seus amigos de verão. Kate tinha cabelo loiro comprido ondulado com madeixas castanhas claras. Tinha os seus olhos castanhos-claros estavam contornados de preto e a sua pele bronzeada pelo sol. Estava trajada com um vestido vintage branco e uns chinelos de praia. Harry era um rapaz alto e esguio. Era igualmente louro e tinha olhos castanhos-claros. Tinha uma T-shirt preta e uns calções cinzentos. Emily levantou-se de imediato da cadeira e gritou:

- Malta! – Emily deu um abraço a Kate e dois beijos a Harry. Carolyn e Dylan começaram a limpar-se para evitar figurinhas desagradáveis – Então, sempre vêem cá passar as férias?

- Sim, os meus pais estavam quase para não vir este ano mas convencemo-los. – informou Kate com um sorriso orelha a orelha.

- Ainda bem!

Dylan levantou-se da cadeira e agarrou na mão de Carolyn puxando-a para perto de si. Dylan cumprimentou Harry e depois Kate.

- Malta, esta é a Carolyn. Ela é filha dum colega de trabalho do meu pai, e este ano veio passar as férias connosco. – disse Dylan com um sorriso.

- Olá. – disse Kate cumprimentado Carolyn, e Harry a mesma coisa.

- Carolyn, esta é a Kate e este é o Harry. Eles são primos e há dois anos que vêem para esta zona. A casa deles é e uns metros da nossa.

- Prazer. – disse Carolyn.

- Vocês são namorados? – perguntou Harry.

 Carolyn ficou vermelha que nem um tomate. Dylan ficou calado. Carolyn ficou com a batata quente na mão e depois respondeu:

- Não, não. Longe disso. Eu tenho namorado. – respondeu com um sorriso – Somos só amigos.

Harry lançou um olhar furtivo a Dylan e sorriu.

- Então, são 17 horas. Daqui a uma hora e meia temos de ir para casa meninos. – disse Emily olhando para o telemóvel.

- Ok. Então ainda ficamos um bocado na praia. Venham connosco. – pediu George a Kate e a Harry.

Depois de terem ido todos à água e de terem secado, Emily começa a arrumar as coisas e diz que têm de ir andando. Despediram-se todos de Kate e de Harry, e partiram de volta a casa. Quando chegaram depararam-se com os quatro pais todos bem vestidos prontos a sair de casa.

- Olá… Onde vão? – perguntou Dylan olhando para eles.

- Nós vamos jantar fora e depois vamos ao teatro. Vocês ficam em casa, pode ser? – disse o pai de Dylan, Nicholas.

- E não partam nada. Estás a ouvir, Carrie? – disse a mãe de Carolyn.

- ‘Tá bem, mãe.

- E o que é que agente janta? – perguntou Emily.

- Sei lá, encomendem uma pizza. – disse a mãe de Dylan e de Emily – O número está no frigorifico. E as toalhas da praia são para estender no quintal. Ouvis-te Dylan? – como Dylan era um cabeça no ar que não queria saber de nadinha do que os seus pais diziam, a sua mãe repetia sempre as coisas para ele. Mas mesmo assim Dylan não queria saber. Simplesmente fingia que não ouvia. Emily era como se fosse mãe dele quando estavam responsáveis por alguma coisa. Emily era a menina responsável embora também rebelde como o irmão, mas não tanto. Era sempre ela que tratava de arranjar as desculpas para quando chegavam tarde a casa ou quebravam as regras. Os seus pais confiavam mais nela do em Dylan.

- Sim mãe… eu ouvi. - Dylan foi a caminho do quintal com as toalhas no ombro.

- Então adeus, meus amores.

- Adeus. – disseram em coro enquanto eles saíam.

- E não se deitem muito tarde. Se saírem digam alguma coisa. – disse a mãe de Dylan que era a última a sair.

 - ‘Tá bem, ‘tá descansada.

- Adeus. – e finalmente fecharam a porta.

- ‘Tava a ver que nunca mais bazavam. – disse Emily sentando-se no sofá.

- Então, querem encomendar já a pizza? – disse Dylan que já tinha voltado.

- Estendes-te as toalhas no quintal? – perguntou Emily.

- Bem… elas estão no quintal, não estão é estendidas. – respondeu Dylan.

- Vai já estender as toalhas!

- Não.

- Dylan!

- Eu já estendo, porra! – Carolyn e George estavam os dois sentados no outro sofá a rir às gargalhadas e a ver aqueles dois.

- Onde é que está o telefone? Eu vou ligar para a pizzaria. – disse George levantando se do sofá.

- Está em cima da mesa da entrada. - respondeu Dylan.

- Toda a gente gosta da pizza havaiana? – perguntou George.

- Sim. – responderam em coro.

George foi buscar o telefone e foi para dentro da cozinha porque não havia barulho. Emily foi atrás dele para ir buscar pratos e tabuleiros para todos comerem na sala.

 

 

Gostaram?? Olhem agora isto pode adar um bocado secante, mas eu tenho de ir devagar pk se n a historia n fica mt compreensivel. há k ir com calma! Comentem muito!!!   BJs

publicado por Anna às 20:18
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
Quarta-feira, 23 de Março de 2011

Vida de Carolyn: Two Lovers- 9º Capítulo

 

 

Toda a gente em casa estava muito ocupada a arrumar e a limpar a casa. Os rapazes estavam a montar uns móveis novos. Os homens – o pai de Carolyn e o pai de Dylan e de Emily – estavam a tratar de um problemazinho com a canalização. E as mães estavam a limpar a casa. Emily e Carolyn estavam a arrumar a roupa delas no closet e também estavam a ajudar as suas mães. Já era de noite e Carolyn quando acabou de guardar a sua roupa e foi sentar-se numa das camas.

- Queres ficar nessa? – disse Emily arrumando a sua roupa.

- Tanto faz. Porquê, queres tu ficar nesta?

- Não, não. Deixa-te estar. Para mim também tanto faz. – Emily guardou a última peça de roupa e foi sentar-se na outra cama e ficou de frente para Carolyn – Então… já deu para ver que o meu irmão gosta de ti.

- Pois…

- Mas, tu gostas dele?

- Não. Eu tenho namorado. E o Dylan não me larga. Tenho medo que ele não desista.

- Pois… conhecendo-o como eu o conheço ele não vai desistir assim tão facilmente. O gajo só se dá por feliz quando tem aquilo que quer.

- Nota-se! Não sei como é que vou fazer.

- Não faças. – Emily deitou-se na cama virada para cima – Não ligues aos elogios dele nem o deixes tocar-te.

- Pois, vai ter de ser.

 Entretanto batem à porta.

- Quem é? – perguntou Emily.

- Sou eu mana. – era Dylan.

- Entra. – respondeu Emily.

Dylan abriu a porta e entrou.

- Então, as meninas já arrumaram tudo? – Dylan foi sentar-se na cama de Carolyn ao lado dela.

- Sim, e vocês? – perguntou Carolyn.

- Também. O George levou com o martelo nos dedos mas ‘tá tudo bem. – riu-se.

- ‘Tás a falar a sério?! Onde é que ele ‘tá? – perguntou Emily aflita.

- Tá no nosso quarto. – dito isto Emily voou para o quarto dos rapazes – Eu preciso de falar contigo.

- Disseste-lhe isto só para ficarmos sozinhos? – perguntou ela.

- Bem… sim. – Carolyn serrou as sobrancelhas – Quer dizer… não, não.

- Não de certeza? – questionou Carolyn com as mão na cintura.

- Pronto, sim! Mas eu preciso mesmo de ficar a sós contigo. Nós precisamos de falar.

- Coitada da tua irmã!

- Deixa-a lá estar.

- O que é que queres falar?

- Quero saber se vais contar ao teu namorado o que se passou entre nós.

- Ao Dave?

- Sim, essa melga!

- Bem, eu acho que não lhe vou contar. Afinal, aquele beijo não teve significado nenhum.

- Para mim teve!

- Não vais começar! Estou a falar de mim!

- Ok, ok. Não lhe vais contar?

- Não. Mas porquê?

- Bem… na verdade estou a sentir-me mal por te ter beijado. Não quero causar problemas entre tu e ele.

- Ohhh… Agora gosto mais de ti, vês? – Dylan sorriu – És um bom amigo. E quero que continues a sê-lo. – Carolyn abraçou-o. Dylan respirou fundo e abraçou-a com força. Queria aproveitar todos os momentos que estava com ela. Ele queria ser o melhor amigo que ela já alguma vez tivera. Tinha de ser forte e apoia-la, não destruí-la.

No dia seguinte Emily acordou por volta das 9h da manhã e foi vestir o seu bikini preto e depois vestiu uns calções e uma blusa de alças. Em seguida foi acordar Carolyn.

- Carolyn, acorda.

- Hum… ok. – Carolyn levantou-se devagarinho – Vamos à praia, é?

- Yah, veste o bikini. – Carolyn agarrou no seu bikini favorito cai-cai e foi despachar-se para a casa de banho.

Depois de se despacharem foram as duas à cozinha. Estavam lá os rapazes a comer cereais e a rirem-se às gargalhadas.

- Então qual é a piada do dia? – perguntou Emily dirigindo-se a George.

- Parvoíces. – disse George. Emily aproximou-se dele e beijou-o.

- Bom dia. – disse George para Emily.

- Então, já estão prontas?

- Yah. Então… o que é que se come? – perguntou Carolyn.

- Toma. – Emily mostrou-lhe dois pacotes de cereais – Os meus pais ainda não foram às compras. É só os que temos.

- Não faz mal, eu gosto destes. – Carolyn pegou nos cereais e no pacote de leite e preparou o seu pequeno-almoço.

- Para que praia é que querem ir? – perguntou Dylan levando a taça já vazia para o lava loiça.

- Bem, a que costumávamos ir mais vezes o ano passado parece-me a melhor escolha. – comentou George.

- Yah. Essa não é aquela que tem umas rochas grandes que a gente se atirava lá de cima para a água? – questionou Emily. Carolyn esbugalhou os olhos.

- Yah, vamos para essa. – disse Dylan.

- E não vamos surfar hoje? – perguntou Emily com a boca cheia.

- Não sei… - disse Dylan – Eu acho que hoje não há ondas.

- Não, hoje não há ondas. Não vai dar. – concordou George.

Acabaram todos de comer, agarraram nas toalhas e foram a pé para a praia (afinal a praia era pertinho de casa). Quando chegaram estenderam as toalhas mesmo no meio do areal. Emily e Carolyn ficaram a apanhar banhos de sol de barriga para cima enquanto os rapazes correram logo para a água. Carolyn ligou o iPod, partilhou os phones com Emily e ficaram a ouvir música. Os rapazes ficaram mais ou menos trinta minutos dentro de água que estava algo fria. Quando eles saíram da água decidiram pregar-lhes uma partida. Chegaram ao pé delas devagarinho e sem fazer barulho, para evitar que elas abrissem os olhos, e deitaram-se em cima delas, todos molhados. Dylan deitou-se em cima de Carolyn e George em cima de Emily.

- Dylan! ‘Tás gelado! – Carolyn tentou tirar Dylan de cima dela nas não conseguiu. Ele abraçou-a com força. – Sai lá!

- Só se vieres ao banho.

- Nem penses! – Dylan saiu de cima dela e ela sentou-se na toalha – A água ‘tá um gelo!

- Anda lá! – Dylan puxou Carolyn pelo braço e ela levantou-se.

- Eu não vou!

- Vais, vais! – Dylan começou a empurra-la e ela fazia força com os pés na areia para não sair dali.

- Não me vais meter dentro d’água!

- Á isso é que vou! – Dylan pegou em Carolyn ao colo e correu com ela para a água.

- Larga-me! – Dylan continuou a correr e logo de seguida mergulharam na água.

 

  

 Desculpem não ter postado mais cedo mas tive testes :(

 Comentem muito please!


música: Thirty secons to mars - Hurricane
publicado por Anna às 12:30
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Sexta-feira, 18 de Março de 2011

Vida de Carolyn: Two Lovers- 8º Capítulo

 

 

Tumblr_li8an1remg1qeobpjo1_500_large

 

 

Carolyn ficou imóvel. Não mexeu um músculo, nem sequer respirou. Sentia a respiração de Dylan na sua face. Dylan inclinou-se ligeiramente até que os seus lábios se tocaram. Nesse instante beijaram-se. Primeiro um beijo calmo, e depois selvagem. Dylan tinha os braços na cintura de Carolyn. Carolyn pôs as suas mãos no peito de Dylan e depois afastou-o separando o beijo.

- O que é que pensas que estás a fazer?!

- A beijar-te. – disse mordendo o lábio inferior.

- Mas em que planeta é que tu vives?!

- No teu. O planeta Carolyn… Tu não me sais da cabeça.

- Mas vou ter de sair! Eu tenho namorado Dylan. Não pode ser.

- Pode ser se tu quiseres!

- Mas eu não quero! Já escolhi quem tinha de escolher. Escolhi o Dave , o meu namorado.

- Mas deixa-me provar-te que posso ser melhor que ele. – Dylan aproximou-se dela e acariciou-a na face.

- Não tens de provar nada. – Carolyn tirou delicadamente a mão de Dylan do seu rosto – Eu acredito que tu podes ser dos melhores gajos para estar comigo, mas agora é tarde.

- Nunca é tarde.

- É sim! Dylan, esquece! Esquece-me! – Carolyn virou-lhe as costas tencionando dirigir-se ao seu carro para ir arrumar a bagagem. Dylan agarrou-lhe pelo braço e puxou-a para si.

- Tu gostaste, admite.

- Gostei do quê?

- Do beijo.

- Dylan, não insistas. – Carolyn virou-lhe costas outra vez e ele puxou-a.

- Diz-me só!

- Não significou nada!

- Mas gostaste. Se não tinhas separado o beijo mais cedo!

- Dylan, esquece!

- Significou muito para mim. Não me vou esquecer disto facilmente.

- Mas vais ter de o fazer.

- Duvido que não tenha significado nada para ti. Tu gostaste, eu senti!

- Ok, eu descontrolei-me. Precisava de afecto. Mas não vai voltar a acontecer! Por isso esquece!

Dylan sorriu – Eu não me vou esquecer de ti. Não consigo. Tu estas sempre presente e por isso…

- Dylan, eu gosto de ti como amigo. Acho-te um tipo fantástico! Mas não mais que isso.

- Tu é que sabes. – Dylan sorriu – Mas eu vou fazer-te perceber que sou mais do que aquilo que tu pensas. – Dylan aproximou-se dela tentando-a beijar mais uma ver. Carolyn desfiou a cara e afastou-o bruscamente.

- Para quieto! Chega! – Carolyn foi acabar de arrumar as malas e Dylan foi para dentro de casa ter com o resto do people.

Depois de tudo pronto, meteram-se no carro e foram até ao aeroporto. Caroly estava chateadíssima com Dylan. Estava também arrependida de ter o ter beijado. Sentia que estava a trair Dave da pior forma. Ainda por cima tinha lhe assegurado que nada se ia passar entre ela e Dylan.

Quando chegaram ficaram um tempo à espera e depois entraram no avião. Carolyn estava maravilhada. Não era a primeira nem a segunda vez que Carolyn tinha andado de avião. Já tinha viajado até bastantes vezes. Tinha feito algumas viagens de férias noutros países e também dentro da América. Normalmente ia visitar os avós maternos à Carolina do sul. No avião haviam três filas de assentos. As filas laterais junto às janelas tinham dois assentos, e a do centro tinha quatro. Depois de entrarem no avião começaram a discutir onde se iam sentar. Os adultos – os pais de Dylan e de Carolyn – ficaram logo na fila do meio, pois tinha quatro lugares. E eles tinham de decidir entre os restantes. George sugeriu logo que a Emily e ele ficassem numa das filas de dois lugares os dois juntos. Mas Carolyn torceu o nariz. Não queria ficar com Dylan sozinha. Mas parecia que ia ser um bocado má onda pôr Emily e George separados já que eles eram namorados. Carolyn acabou por aceitar a proposta de George. Na verdade George também estava a dar-lhes um empurrãozinho. Afinal Dylan já lhe tinha contado a cena do beijo. Então Dylan e Carolyn foram sentar-se.

- Queres ficar do lado da janela ou do lado de dentro? – perguntou Dylan com um sorriso.

- Do lado da janela. – respondeu ela com cara de aborrecida.

- Com certeza. – Dylan afastou-se e deixou Carolyn passar.

Dylan e Carolyn sentaram-se e ela deixou-se ficar a olhar pela janela. Ainda não tinham levantado voo. Dylan encostou-se mais a Carolyn e perguntou:

- Estás chateada?

- O que é que achas? – ripostou Carolyn olhando para Dylan.

- Eu sei mas não era preciso fazeres grande alarido. Foi só um beijo.

- Pode ter sido só um beijo, mas foi também uma traição.

- Ele não precisa de saber.

- Mas eu sinto-me mal comigo própria esse é problem.

- Desculpa… - Dylan olhou-a nos olhos.

- Ok… eu desculpo. – Carolyn sorriu e depois ficou séria – Mas tens de prometer que não me vais tentar beijar mais nenhuma vez.

- Só te beijo com a tua permissão.

- Não te preocupes muito com isso porque eu não vou dar permissão.

- Tu é que sabes.

A viagem passou num instante e depressa chegaram ao aeroporto de Miami. Ainda era de tarde, por isso o calor ainda se fazia sentir e bem. Foram buscar as bagagens e depois foram buscar o BMW que o Nicholas – pai do Dylan – tinha dito que tinham alugado. Depois disso foram para casa. A casa era perto da praia e era um pouco longe do stress da cidade. Por fora tinha um jardim – que não era tão grande como o da casa de Dylan em Santa Mónica – e também a piscina. No andar de cima tinha uma vista lindíssima. A casa tinha um estilo moderno mas não era assim tão moderno. Carolyn foi pôr a bagagem no quarto onde ia ficar com Emily com a ajuda de Dylan a carregar as malas. Emily entrou atas dela e perguntou:

- Então o que achas?

- É tudo lindo!

O quarto tinha duas camas e uma secretária e outros móveis e ainda um closet. Não era muito grande mas era óptimo, já que Carolyn nunca tinha tido um antes.

 

 

Gostaram? Agora é que vao começar as surpresas! :p 6 comentarios!


 

publicado por Anna às 09:50
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Terça-feira, 15 de Março de 2011

Vida de Carolyn: Two Lovers - 7º Capítulo

 

Os raios de sol entravam intensamente pela janela do quarto de Carolyn logo pela manhã, fazendo-a acordar. Eram 7.30h da manhã e Carolyn levantou-se sonolenta e dirigiu-se à casa de banho. Depois do banho tomado vestiu o seu vestido de Verão favorito. Tinha-lhe sido dado por uma pessoa muito especial no Verão passado, nos seus anos. Não, não era Dave. No Verão passado Carolyn ainda não o conhecia. Tinha sido o seu avô. Bem, mais propriamente a sua avó. Pois o seu avô não percebia nada de roupa. O seu avô tinha pedido à sua avó para escolher uma prendinha que era para depois ele oferecer à sua neta em nome dele, apesar de não ter sido o avô que escolheu. A sua avó ofereceu-lhe um colar com um búzio pequenino branco com umas manchinhas bege. Carolyn decidiu vestir o vestido e o colar, as prendinhas dos avós do seu aniversário passado quando fizera 16 anos em Agosto.

Carolyn desceu as escadas e dirigiu-se à cozinha. A sua mãe estava a preparar panquecas. Carolyn sentou-se nos bancos altos da bancada e a mãe voltou-se para ela.

- Já? Era suposto levantares-te só às 8h.

- Well, esqueci-me de fechar as portadas da janela por isso acordei com o sol a bater-me na cara.

- Ok. Queres? – a Sr.ª Williams mostrou-lhe um prato com uma apetitosa panqueca e Carolyn encolheu os ombros agarrando no prato.

- O pai já pôs as malas à entrada? – perguntou Carolyn de boca cheia.

- Não, ainda falta uma hora!

- Eu vou já buscar as minhas coisas que é para não chegarmos atrasados como sempre. – Carolyn acabou de comer e foi buscar as malas.

Depois de todos estarem despachados com as malas arrumadas no carro, Carolyn, a Srª Williams e o Sr.º Williams meteram-se dentro do carro e foram até Santa Mónica, a casa de Dylan.

Quando chegaram avistaram uma casa enorme branca rodeada por um jardim lindo cheio de plantas e todo ele arranjado. A casa estava vedada com uma vedação alta e tinha um grande portão. Carolyn ficou boquiaberta com a bela casa da família Rogers. O carro de Carolyn parou em frente do portão e ele abriu-se. Depois viram uma carrinha de sete lugares preta estacionada na frente da casa com o porta-bagagem aberto cheio de malas. O carro de Carolyn parou junto da carrinha e Dylan aproximou-se do carro. Dylan cumprimentou os pais de Carolyn e depois Carolyn.

- Então? Tudo em cima? – perguntou ele com um sorriso caloroso no rosto.

- Sim… - Carolyn olhava em volta maravilhada com tudo aquilo.

- O que foi?

- Não me desses-te que tinhas este luxo todo.

- E era preciso?

Carolyn encolheu os ombros.

- Assim ficavas a pensar que eu era um convencido de primeira.

- Pois… porque tu és um convencido de segunda, certo?

- Pronto esta bem. Sou um bocado orgulhoso!

- Ao menos admites.

George e uma rapariga loura de olhos verdes aproximaram-se deles. A rapariga olho-a de alto a baixo e perguntou a Dylan:

- Então… esta é a rapariga que me falaste e que vem connosco?

- Sim. Ah… Carolyn esta é a Emily – a minha irmã gémea, e Emily esta é a Carolyn.

- Olá. – disse Emily esboçando um sorriso no rosto. Ela tinha os olhos maquilhados com lápis bem carregados em cima e em baixo. O cabelo era comprido escadeado e era louro claro. E tinha as unhas pintadas de preto. Estava vestida com uns calções de ganga curtos rasgados e com uma blusa branca de manga curta com um decote. Tinha umas sandálias pretas lindas e também tinha as unhas dos pés pintadas de preto.

- Oi. – respondeu Carolyn também com um sorriso. Os rapazes afastaram-se, pois foram ajudar a pôr as malas na carrinha.

- Preparada para as férias? – questionou Emily.

- Yap!

- Vais ver que te vais divertir imenso! Miami é um espectáculo! E a nossa casa de férias também.

- Aposto que é uma casa cheia de luxos como esta.

- Não é tão grande, mas a diferença é pouca. E por falar na casa, nós vamos partilhar o quarto se não te importares. É que só há quatro quartos. Um para os meus pais, outro para os teus pais, outro para o George e o para o Dylan e o outro é para nós.

- Claro que não me importo! É na boa.

- Querida, vem buscar as tuas malas para pores no carro do Nicholas! – chamou o Sr.º Williams. Entretanto George e Emily foram para dentro de casa. Dylan e Carolyn ficaram sozinhos no jardim.

- ‘Tou a ir! – Carolyn foi à bagagem do seu carro e começou a tirar as suas malas com alguma dificuldade, pois elas estavam pesadas. Dylan veio por trás de Carolyn e tirou-lhe a maior mala da sua mão com uma grande facilidade.

Carolyn olhou para ele com um sorriso, puxando a mala para si e disse:

- Deixa estar Dylan não é preciso.

- É pois, a mala está demasiado pesada para ti. – disse ele puxando a mala para si.

- Mas deixa estar. Eu levo-as.

- Deixa-me levá-las.

- Já te disse que eu as levo!

- És tão teimosa!

- Já tinhas dito… - disse Carolyn com um ar indiferente.

- E volto a dizer: És a gaja mais teimosa que já conheci!

- Bom pra ti! Agora, eu levo a mala! – Carolyn puxou a mala para si.

- Ai, queres assim? Então vais tu e a mala! – dito isto Dylan agarrou Carolyn ao colo pondo-a de barriga para baixo debruçada sobre o seu ombro e com o outro braço levou a mala dela.

 Carolyn começou a gritar e a espernear:

- Põem-me no chão! – Dylan levou-a para a carrinha, abriu a porta e pôs Carolyn dentro da carrinha nos bancos de trás. Dylan entrou também na carrinha deixando a porta aberta.

- Agora vais paga-las! – Dylan começou a fazer cócegas a Carolyn.

Carolyn estava a rir sem conseguir parar quando puxou as calças a Dylan que estavam descaídas, como sempre, para que ele parasse de lhe fazer cócegas. Dylan muito aflito parou de lhe fazer cócegas e puxou as calças rapidamente para cima. Carolyn aproveitou para se escapar. Carolyn fugiu para ao pé do seu carro.

- Oh… espertinha! – Dylan aproximou-se de Carolyn puxando as calças para cima.

- Pára quieto! – disse Carolyn andando para trás de costas.

- Ah… agora quero vingança! - Dylan içou o braço para a cintura de Carolyn puxando-a para si. Dylan aproximou-se mais da face de Carolyn que os seus narizes se tocaram.

 

 

Ai, ai! será que... já sabem 6 comentarios!

publicado por Anna às 21:54
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Sábado, 12 de Março de 2011

Vida de Carolyn: Two Lovers- 6º Capítulo

 

Carolyn, Dylan e George continuaram a falar na praia quando o telemóvel de Carolyn toca. Carolyn olha para o ecrã e vê que é Dave. Carolyn sorri, afasta-se dos rapazes e atende.

- Dave? – os rapazes ainda conseguiram ouvir o nome dele.

- Oi amor! ‘Tá tudo bem?

- Sim, está tudo óptimo! E tu?

- Também. Agora já estou em casa dos amigos dos meus pais.

- E como é que está a ser?

- Um bocado secante… ‘Tou desejoso de voltar para casa e estar contigo e com os outros.

- E quando é que voltas?

- Daqui a um mês.

- Pois. Bem, amanhã vou para Miami.

- A sério?

- Yah. O patrão do meu pai e a familia dele convidaram-nos para irmos passar um tempo a casa deles.

- Então finalmente vais ter férias. Ainda por cima em Miami! Que sorte!

- Mesmo! E o patrão do meu pai tem dois filhos…

- Putos?

- Não… têm 16 anos, ou seja, a nossa idade.

- Mas são gajas?!

- Não… quer dizer… é uma gaja, e um gajo. – disse Carolyn mordendo o lábio.

- Um gajo?! Oh não…

- Oh, não é caso para alarmes! Nós somos amigos e eu só penso em ti. Podes estar descansado.

- Eu sei. Mas o problema não és tu, eu confio em ti. O problema… é ele. Tu não deixes que ele te toque!

Carolyn riu-se – Please! Não te preocupes… ele não me vai tocar.

- Já sabes, se ele te tocar, só tens de me ligar que eu tenho uma conversinha com ele!

- Whatever…

- É que… tu és linda e… os gajos devem ser às resmas atrás de ti!

- Ai que exagerado!

- É verdade! E como é que ele se chama?

- Dylan.

- Tem nome de idiota! – Carolyn riu-se.

- Ele até parece um tipo fixe. Mais não mais que isso…

- Um tipo fixe… pois. O que ele quer sei eu!

Enquanto Carolyn falava ao telemóvel com Dave bem longe de Dylan e de George, eles falavam.

- Ela ‘tá a falar com o namorado, não? – perguntou George.

- Provavelmente…- Dylan fez cara de amuado.

- Como é que sabes?

- Então, não ouviste ela a dizer “Dave” e a sorrir?!

- ‘Tá na tua cara que gostas dela.

-Como tu me conheces…

- Mas eu duvido que ela deixe o outro gajo para ficar contigo, Dylan. – comentou George olhando para Carolyn a sorrir e a falar com Dave.

-Talvez… - Dylan começou a desenhar na areia e depois levantou a cabeça – Mas eu vou tentar. Não vou desistir já.

- Mas primeiro tens de a conhecer melhor… vocês ainda só se conhecem à dois dias e já ‘tás para aí apanhadinho.

- Ela não é difícil de decifrar. É uma gaja simples, linda de morrer e não é estúpida.

- Olha, ela vem aí. – disse George olhando para Carolyn que se aproximava.

Carolyn sentou-se ao pé deles e ficou a olhar para Dylan que estava a sorrir para ela.

- O que foi? – perguntou ela a Dylan.

- Era o namorado?                                  

- Yah, porquê?

- Nada, nada… - Dylan olhou para George que estava a sorrir ligeiramente.

- Bem… eu vou andando. – disse George levantando-se – A minha mãe disse que queria que eu fosse almoçar a casa, por tanto…

- Pois... a minha mãe também. – disse Carolyn que depois olhou para Dylan – E tu Dylan? Onde vais almoçar?

- Não sei…

- Queres almoçar lá em casa?

Dylan sorriu e disse:

- Claro! – George piscou o olho a Dylan e ele sorriu.

- Então adeus. Gostei muito de te colhecer Carolyn. -  George deu dois beijos na face de Carolyn e depois deu um abraço a Dylan.

- Amanhã à porta da minha casa às 9h com as malas e as tuas cenas. - disse Dylan.

- OK. Adeus malta! – E entretanto George foi-se embora.

- Vamos? – perguntou Dylan.

- Yah, vamos. – Carolyn e Dylan começaram a andar – Então… amanhã é para estarmos em tua casa às 9h?

- Sim. Vocês vão no nosso carro de sete lugares até ao aeroporto.

- O meu pai disse que os teus pais alugaram um BMW em Miami.

- Yah.

Depois de terem almoçado Dylan foi-se embora. Carolyn foi fazer a mala. E depois do jantar Carolyn telefonou a Emma.

- Estou?

- Emma, é a Carolyn.

- Carrie! Á quanto tempo não falávamos! ‘Tá tudo bem?

- Sim, e contigo?

- Também. Estou num hotel do melhor que há!

- Sortuda! E tenho imensa coisa para te contar.

- Realy? O quê?

- Bem, primeiro fui atropelada…

- Atropelada?! ‘Tá tudo bem?

- Sim… não foi nada de especial. Fiquei só com uma nódoa negra e não parti nada. Continuando. Depois, o gajo que me atropelou é filho do patrão do meu pai.

-Uau! Que coincidência!

- Pois… E ele gostou muito de mim…

- Tipo… gostou, gostou?

- Yah. Mas eu disse-lhe que tinha namorado por isso… não sei se ele desistiu.

Pois…

- E depois do acidente ficamos, digamos… amigos. E depois viemos a saber que íamos passar o Verão juntos na casa dele em Miami. Os pais dele convidaram os meus pais.

- Bem… que cena!

- E hoje veio visitar-me.

- Eu acho que para ele te vir visitar é porque gosta mesmo de ti.

- Pois. Isso eu já não sei. Só sei que ele é muito fixe.

- “Fixe”? Não gostas dele, pois não?

- Não! Ele é só um bom amigo. E em Miami ele diz que tem lá um grupo de amigos bué porreiros. ‘Tou anciosa por amanhã.

- Vais já amanhã?

- Vou.

 

 No proximo cap é quando eles chegam a Miami. Não percam! 

Kisses <3


publicado por Anna às 22:55
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Quinta-feira, 10 de Março de 2011

Vida de Carolyn: Two Lovers - 5º Capítulo

 

Dylan e Carolyn finalmente chegaram à praia. O grande areal estendia-se pela costa molhada pela água do mar. Os dois sentaram-se na areia e ficaram a olhar o mar. Dylan baixou a cabeça e ficou a olhar a desenhar na areia.

- Então… o que é que fazemos agora? – perguntou Dylan olhando para Carolyn.

- Não faço a mínima. – Carolyn olhou também para Dylan.

- Já sei! – Dylan levantou-se repentinamente e Carolyn ficou a olhar para ele sentada – Vamos dar um mergulho!

- Quê?! ‘Tas te a passar! Não trouxe biquini nem toalha! Tu tens os calções vestido mas eu não tenho nada para ir à água.

- Então molhas só os pés! Sei lá, vamos fazer alguma cena. – Dylan estendeu a mão a Carolyn. Carolyn agarrou na mão de Dylan e ele puxou-a para cima levantando-se.

- Uau! Vou molhar os pés! – exclamou Carolyn sacudindo a areia do rabo.

- Pronto está bem. Mas eu vou ao banho!

- És completamente doido! Podemos estar no Verão mas de manhã o tempo não está propriamente quente. E a água agora deve estar um gelo!

- Eu sou tipo lobisomem ‘tás a ver? – Carolyn riu-se – Raramente tenho frio. – Dito isto, Dylan despiu a camisola e Carolyn quando olhou para os seus abdominais eos restantes musculos perfeitamente bem desenhados e a sua pele morena ficou corada que nem um tomate – Até já! – Dylan mandou a camisola para o chão, deu o seu telemóvel a Carolyn e correu para a água.

Carolyn sentou-se na areia e ficou a vê-lo. Dylan furava as ondas e sacudia a água dos caracóis elegantemente. Por momentos Carolyn deu por si a pensar o quão sexy achava Dylan. Carolyn achava que Dylan era realmente bonito. Dylan não era muito alto, era um palmo mais alto que Carolyn. E tal como muitos outros rapazes. Dave – o namorado de Carolyn – era também uma grande brasa. Na opinião de Carolyn, Dave era o melhor de todos os outros por mais giros que pudessem ser. Haviam alguns aspectosem que Dylan e Dave eram parecidos. Eram os dois divertidos, giros engraçados e espertos. Mas fisicamente eram bastante diferentes. Dave era menos moreno que Dylan mas também não era branco. O cabelo de Dylan era uma mistura de loiro e castanho claro e o cabelo de Dave era castanho bastante escuro. Os olhos de Dave eram azuis profundos e os de Dylan verdes densos. Não eram verdes escuros nem claros, eram intermédios. Psicologicamente as diferenças não eram muitas. Uma diferença notável era o facto de Dylan ser talvez um pouco mais mulherengo que Dave. A forma de Dylan agir mostrava também que era talvez um pouco convencido. Carolyn achou que Dylan era assim também devido ao facto de ser rico. Ao contrário de Dylan, Dave era mais humilde.  

De repente o telemóvel de Dylan toca e Carolyn ao olhar para o ecrã vê que era George – o melhor amigo de Dylan que morava em Santa Barbara. Carolyn levantou-se e chamou Dylan acenando os braços no ar. Dylan tirou a água dos olhos e olhou para Carolyn. Ela levantou o braço mostrando o telemóvel. Dylan fez-lhe sinal para ela atender. Carolyn encolheu os ombros e carregou no botão.

- ‘Tou?

- Está? Emily és tu?

- Ah… não. É… uma amiga do Dylan. – Carolyn sentou-se na areia.

- Ah… ok! Então o Dylan está ocupado?

- Sim, nós estamos na praia e ele mandou-me atender. Ele ‘tá na água.

- Oh… estou a ver. É que eu queria falar com ele para ele passar aqui por minha casa em Santa Bárbara. Onde é que vocês ‘tão?

- Na praia, em Santa Bárbara, por acaso. É que… bem… é uma longa história. Queres vir cá ter connosco? Moras cá certo?

- Sim moro. Então ‘tá bem. Estão na praia principal em frente ao café?

- Yah.

- Ok vou para agora.

- Ok. Xau.

- Adeus.

Dylan saiu da água e veio em direcção a Carolyn todo molhado.

- Então… o que é que ele disse? – Dylan tirou a água dos olhos e sacudiu o cabelo.

- Bem… ele disse que queria convidar-te para ires lá a casa dele. E eu perguntei-lhe se ele não queria passar antes por aqui. Já que tu estavas dentro d’água. – Carolyn permaneceu sentada.

- Ah ok. Fizeste bem. E… ele vem?

- Yah. E como é que vais secar agora?

 - De pé.

- Isso é um bocado idiota, sabes?

- Sim, mas queres que eu faça o quê? Não me vou sentar no chão se não fico todo cheio de areia.

- És tão mesquinho! – Carolyn agarrou-lhe no braço e puxou-o para baixo. Dylan desequilibrou-se e caiu na areia.

- Oh porra! E agora?

- Então, agora secas sentado. – Carolyn começou a rir - E cheio de areia.

-Ah, ah, ah! – riu Dylan sarcasticamente – Queres ficar cheia de areia também? É que é que assim rimos os dois. – Dylan sorriu e abraçou Carolyn.

- Para quieto! – disse Carolyn a rir-se e a tentar descolar-se de Dylan.

Carolyn não aguentou mais o peso de Dylan em cima de si e deixou-se tombar. Dylan continuou agarrado a ela e ficaram os dois deitados na areia. E Carolyn continuava a tentar soltar-se de Dylan quando de repente alguém se aproxima. Carolyn olha para cima e vê um rapaz de cabelo curto com uma popa castanho da cor de chocolate, olhos castanhos-claros, alto (não muito, aproximadamente do tamanho de Dylan) e também moreno. Dylan também olhou para cima e viu George.

- George? – questionou Dylan levantando-se de cima de Carolyn e sacudindo a areia do seu corpo.

- Então pá? – George abraçou Dylan e sussurrou-lhe ao ouvido – Gaja nova?

- Não… quem me dera. Ela tem dono. – disse Dylan da mesma maneira.

George sorriu ligeiramente e aproximou-se de Carolyn.

 - Olá. Tudo bem? – George deu-lhe dois beijos na face e Carolyn fez o mesmo.

- Sim.

- George, esta é a Carolyn. Carolyn, este é o George. – Disse Dylan fazendo as apresentações.

- Então… o que é que vos aconteceu? – perguntou George olhando para eles cheios de areia.

- Andamos à bulha. – Dylan piscou o olho a Carolyn.

George sentou-se no areal e perguntou a Dylan:

- Bem… onde é que a conheceste?

Dylan deu uma gargalhada – Num acidente. – George levantou as sobrancelhas – Yap! Eu atropelei-a. – Dylan apontou para perna de Carolyn.

- Chiça! Granda despistado!

- Eu sei. Mas ela já não está chateada comigo, pois não?

- Por enquanto. – disse Carolyn sorrindo.

- Eu não desiludo gajas. – disse Dylan. George riu-se e Dylan serrou as sobrancelhas – Pronto! Às vezes.

- E isso de a teres atropelado foi quando? – questionou George.

- Ontem. E hoje vim visita-la.

- E descobrimos nesse mesmo dia que os nossos pais eram colegas de trabalho. O pai dele é patrão do meu. – disse Carolyn olhando para Dylan.

- Foi uma grande coincidência. – disse Dylan.

- Cá para mim é o destino. – comentou George no gozo.

- Sim pois… destino. Bem, - disse Dylan puxando outro tema de conversa – já falaste com os teus pais sobre vires connosco para Miami?

- Yah. Eles dizem que sim. – George olhou para Carolyn – E tu sempre vens connosco?

- Sim. Não te importas?

- Claro que não! Estou a achar que és bastante fixe. E a Emily?

- A Emily está em casa. Em Santa Mónica.

 

Que tal? hã?? gostaram? já sabem: minimo 6 comentarios... ;p

publicado por Anna às 23:36
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Sábado, 5 de Março de 2011

Vida de Carolyn: Two Lovers - 4º Capítulo

Capítulo maior por não ter postado logo! Enjoy!

 

- Querida, tenho uma notícia para te dar. – disse o Sr.º Williams.

Carolyn sorriu ligeiramente mas com estranheza.

- Daqui a dois dias vamos para Miami para a casa de férias do Nicholas e da Louise, os pais do Dylan. – disse o Sr.º Williams com um sorriso orelha a orelha.

Dylan levantou as sobrancelhas e esbugalhou os olhos.

- Vocês vêm connosco?

- Sim! – respondeu o Sr. Williams com entusiasmo – Finalmente vamos ter férias!

- Mas porque que vamos com eles? É porque… eu não tenho nada contra mas… é estranho… férias com o patrão? Na casa dele? – disse Carolyn pasmada.

- Filha, não é bem “férias com o patrão”.  – disse o Sr. Williams fazendo aspas com os dedos – É mais umas férias com amigos. Porque para além de colegas de trabalho, eu e o Nicholas também somos amigos.

- Ah ok… - respondeu Carolyn olhando para Dylan que estava com um ligeiro sorriso.

O Sr. Williams recuou e foi-se embora. Carolyn continuou a olhar para Dylan quando ele disse:

- Bem, está visto que vou ter de te aturar nas férias.

- Ah, ah, ah! – riu ela sarcasticamente – Realy? Não será antes o contrário?!

- Tu também és muito difícil de aturar!

- Cala-te pá! Ainda nem me conheces bem!

- Olha, bastou o dia de hoje para saber muito bem quem tu és. Nunca vi gaja tão teimosa!

Carolyn levantou as sobrancelhas com um ar indiferente e depois disse:

- Mas agora a sério. Tens uma casa em Miami?

- Yah.

- E vais lá todos os Verões? – Dylan acenou com a cabeça positivamente.

- E até tenho lá um grupo de amigos e tal. De certeza que vais gostar deles. – disse Dylan sentando-se na cama.

- Humm… e tipo, o que é que vocês fazem o Verão inteiro? – Carolyn sentou-se ao lado de Dylan.

- Bem, vamos à praia, saímos bué à noite, vamos de praia em praia para surfar, vamos para a piscina e às vezes vamos dar uma volta na cidade.

- Piscina?

- Yah, a minha casa tem uma piscina e um jardim à volta e tal.

- Fixe! – Carolyn sorriu. Passaram uns segundos e Carolyn olhou para baixo e depois olhou para Dylan – Bem, parece que ficamos sem assunto.

Dylan deu uma gargalhada abafada.

- Pois foi. – de repente uma voz chama por Dylan. Dylan levantou a cabeça e levanta-se da cama puxando as calças descaídas para cima – É o meu pai. Deve ser para ir andando. – Dylan agachou-se para despedir-se de Carolyn que estava ainda sentada na cama. Carolyn esticou-se e deu-lhe um beijo na bochecha. De seguida Dylan deu-lhe um beijo na testa e saiu do quarto com um sorriso estampado na face.

 

No dia seguinte Caroyln levantou-se cedo. Vestiu umas jeans justas, uma T-shirt que dizia “I <3 Califórnia” e os seus ténis favoritos da Nike. Como era Sábado os pais ainda estavam a dormir. Foi à cozinha, agarrou numa barra de cereais e foi sentar-se numa cadeira no terraço de sua casa. Carolyn gostava de sentir a brisa fresca da manhã antes do sufocante calor de Verão. Eram aqueles pequenos momentos em que estava absolutamente sozinha que a ajudavam a reflectir sobre a vida e a relaxar. A vida passa com tanta intensidade que às vezes temos de parar para pensar e tomar decisões. Carolyn estava a agora a pensar sobre como iria ser o Verão que a esperava. Estava ansiosa por chegar a Miami e conhecer novas pessoas. Nos Verões anteriores Carolyn não conseguira fazer amizades novas. Pois era um pouco tímida em novos relacionamentos. Mas quando já conhecia as pessoas era completamente descontraída. E apesar de tudo Carolyn estava a gostar da companhia de Dylan. Ele tinha acabado e tornar o seu Verão menos secante. E Carolyn tinha ficado admirada de Dylan se ter atirado a ela. Mas ela não sentia definitivamente nada por ele. Apenas esperava que fossem bons amigos. E esperava que ele sentisse o mesmo e não mais que isso.

Passado uns minutos, uma mota preta parou na frente da casa de Carolyn. Carolyn olhou melhor e viu Dylan que saía de cima da mota tirando o capacete e abanando os caracóis. Dylan puxou as calças para cima, olhou para Carolyn e gritou:

- Ei, tudo bem? – disse ele pousando o capacete em cima da mota.

- Estás aqui a fazer? – Carolyn levantou-se da cadeira e foi em direcção a Dylan.

- Calma! – Dylan inclinou-se para Carolyn e deu-lhe um beijo na bochecha e ela fez-lhe o mesmo - Responde à minha pergunta primeiro.

- Sim, está tudo na boa. Agora responde tu à minha pergunta.

- Então… vim chatear-te! – Dylan deu uma gargalhada e Carolyn levantou as sobrancelhas – Não, ‘tou a brincar. Vim ver com estás. – Dylan olhou para a perna de Carolyn e viu que a nódoa negra estava ligeiramente melhor.

Carolyn olhou para baixo, para a sua perna, e disse:

- Está um pouco melhor. – olhou para os olhos verdes profundos de Dylan e depois desviou o olhar – Então, queres ir dar uma volta ou assim?

Dylan abriu os olhos admirado – Uau! Estás bem-disposta hoje! A brisa da manhã fez-te bem. – Carolyn sorriu – Claro, adorava! Onde queres ir?

- Humm, talvez à praia… tenho saudades. Vamos a pé? – questionou Carolyn olhando para a rua em direcção à praia.

- Ok. Até nem é longe. – Dylan pôs as mãos nos bolsos e olhou para Carolyn.

Carolyn sorriu e agarrou no braço de Dylan.

- Anda, vamos por aqui. – e foram os dois pelo passeio fora enquanto falavam.

- Então… os teus pais estavam em casa? – perguntou Dylan.

- Yah. Ainda estavam a dormir. Afinal, são 9 horas da manhã. – Carolyn olhou para o chão enquanto andava e depois levantou a cabeça e olhou para Dylan – Como é que sabias que eu já estava acordada?

- Ontem quando estava contigo no quarto vi que tinhas o despertador para as 8h e meia. Deu logo para perceber que eras madrugadora. E então corri o risco de cá passar.

- Simpático da tua parte. – Dylan sorriu – És sempre assim?

- Assim como?

- Preocupado com os outros. Já ontem disseste que andavas a ajudar o teu amigo porque ele andava metido com droga.

- Ah, sim, eu gosto de ajudar e ser prestável. Pelo menos com aqueles que gosto – Dylan olhou com um ar meigo para Carolyn sorrindo – Por exemplo, o George é o meu melhor amigo e portanto ele precisa de mim tal como eu preciso e já precisei dele. É isso que os melhores amigos fazem, certo?

- Pois. O George é de cá? É que tu és de Santa Mónica e não daqui.

- Yah, mas ele anda no mesmo liceu que eu em Santa Mónica. Andamos juntos desde o 7º ano. E quando ele se mudou para cá tentamos que não mudasse de liceu. Ele também é namorado da minha irmã por isso…

- Tens uma irmã?

- Yah. É a Emily. Eu e ela somos gémeos casal. E não somos nada parecidos! Eu sou mais parecido à minha mãe e ela ao pai.

- É engraçado ela ser namorada do teu melhor amigo.

- Yah. O George vem connosco para Miami, não te importas pois não?

- Claro que não! Afinal a casa é tua.

 

 

Tou anciosa por começar com a parte de Miami! Não se esqueçam de comentar! 6 comentarios! XD

sinto-me: happy: férias!
música: ...
publicado por Anna às 23:24
link do post | comentar | ver comentários (17) | favorito
Terça-feira, 1 de Março de 2011

Happy Birthday Justin!

Dêem os parabéns ao Justin! O nosso Big Boy faz hoje 17 anos ! Não se esqueçam de lhe dar uma palavrinha no perfil dele no facebook! Podem ter a sorte de ele vos responder! A sério! Aconteceu a uma amiga minha, a cata - que comenta cá sempre...<3 U (http://lovestaylorlautner.blogs.sapo.pt/). Ele respondeu mesmo! Ainda não acredito...

  

 

Olhem só esta arte .... Bem, para quem ainda n comentou... o 3º capitulo ta mesmo aki em baixo. BJS <3

 

publicado por Anna às 21:14
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
SCM Music Player

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Vida de Carolyn: Two Love...

. I'm back

. Vida de Carolyn: Two Love...

. Vida de Carolyn: Two love...

. Vida de Carolyn: Two Love...

. Vida de Carolyn: Two Love...

. Vida de Carolyn: Two love...

. Divulgação e conversinha ...

. Vida de Carolyn: Two love...

. Vida de Carolyn: Two love...

.arquivos

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

SCM Music Player
SCM Music Player
blogs SAPO

.subscrever feeds