Quinta-feira, 29 de Abril de 2010

Alguém?...

Ultimamente os comentários não têm aparecido... o que se passa?

 

Não vos quero precionar, nada disso, mas preciso de pelo menos 4 comentários para continuar. Se estiverem de castigo tudo bem, mas se não... please comentem.

 

Vou postar o 9º cap. mas depois compenssem-me, xim?

 

Bjs 

 

sinto-me: Então? kero continuar...
música: Justin Bieber, Never let you go
publicado por Anna às 13:45
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 19 de Abril de 2010

8º Capítulo, 2ª Parte

 

- Estás aqui a fazer?

- Ah… eu… eu, precisava de te ver. – disse aproximando-se de Carolyn devagar.

- Como assim precisavas de me ver? – perguntou nervosa.

- Precisava de te ver e… - respirou fundo – também tenho de te dizer uma coisa.

Dave puxou Carolyn contra o seu corpo e depois passou a sua mão pelo seu rosto suavemente e sussurrou ao seu ouvido:

- Eu amo-te.

Depois pôs as suas mãos em volta do pescoço de Carolyn, deu-lhe um beijo interminável e levou-a naquele abraço até à cama.

 

De manhã Carolyn acordou com a cabeça no peito de Dave.

- Dave, Dave. – chamou para o acordar – Acorda. Já são 6:15h.

- Ainda é cedo! Fica aqui mais um bocadinho comigo. – pediu fazendo beicinho.

- Nem penses os meus pais acordam daqui a meia hora e a e nós temos aula às 8:00h! – disse levantando-se.

- Ainda temos bué tempo! – disse puxando-a para baixo.

- Ainda tens de ir a casa vestir-te e tratar de ti. – disse falando baixinho para os pais não a ouviram.

- Não precisas de falar tão baixo. Os teus pais dormem lá em baixo, não há problema. – disse rindo-se e depois beijando-a.                          

- Está bem. Mas só mais quinze minutos. – disse Carolyn – Sabes uma coisa?  

- Ainda não. – responde fazendo-lhe festas no cabelo.

- Eu também te amo. – respondeu.

- Isso quer dizer que namoramos? – perguntou Dave com um largo sorriso.

- Sim, namoramos. – respondeu.

 

Mais tarde na quando Dave e Carolyn entraram juntos de mão dada na escola John vem a correr ao seu encontro.

- Olá malta, como é que vai isso? – perguntou.

- Bem demais! – responde Dave beijando Carolyn a seguir.

- Já vi que sim. Dave temos de falar. – disse levantando as sobrancelhas.

- Fala. – disse Dave.

- Malta, a Emma já chegou vou falar com ela. – interrompeu Carolyn.

- Vou ter contigo ao bar! – avisou Dave.

- Ok! – respondeu Carolyn aos gritos já longe.

- É o quê?! A Emma já chegou? – perguntou John espreitando indiscretamente por cima de Dave de bicos de pés.

- Sim, Sr. Apaixonado! Já lá vais! Agora conta lá o que é que se passa. – disse Dave fazendo força para baixo com as mãos nos ombros de John para ele assentar os pés no chão.

- Pois… a… O Peter gosta da Carolyn! – disse John num tom rápido.

- O Peter o quê?! – disse Dave indignado.

- Ele disse-me ontem à noite no MSN. – disse John que já esperava aquela reacção do amigo.

- Devias-me ter logo avisado! Nem quero pensar na possibilidade dele nos ter visto juntos! – disse preocupado.

- Conhecendo o feitio dele, o mais provável é que assim que te vir vai dar-te um soco nessa cara linda que tens ai! Ele NUNCA vai perceber. - exclamou com as mãos nos bolsos.

 - Não há maneira nenhuma de lhe esconder o nosso namoro! – disse Dave.

- Olha que bela ideia que eu tive: E que tal se namorassem às escondidas! – disse John dando à manivela invisível da cabeça de Dave.

- Eu já pensei nisso e não vai dar! - disse Dave empurrando o braço de John para ele parar. - A Carrie não gosta de esconder as coisas, muito menos de mentir! E eu também não o queria fazer.

- Então tens mesmo de lhe contar! Vai ficar fulo! – disse John indo ao encontro de Emma.

- Olha lá! Eu já tenho a minha miúda, faltas tu! Tas com os joelhos a tremer é?! – gozou Dave seguindo atrás de John.

- Cala-te! - respondeu John.

 

 

 

 

Não percam no próximo capítulo a Victoria a fazer das suas!

Comentem... minimo 4 comentários

sinto-me: Ela é tramada...
publicado por Anna às 20:06
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Sábado, 17 de Abril de 2010

8º Capítulo, 1ª Parte

Levantou-se do passeio em frente à casa de Carolyn e foi ver a misteriosa luz mais de perto. Dave não quis saber das mais perigosas consequências e correu ao encontro da grande árvore encostada á varanda do quarto. Parou durante uns segundos a olhar para cima mas a sua curiosidade foi mais forte e começou a trepa-la para saber qual a razão de aquela luz se ter acendido numa hora tão tardia. Como Dave era o capitão da equipa de futebol e tinha uns MÚSCULOS que faziam inveja a qualquer outro rapaz não foi nada difícil trepar a árvore. Olhou pela porta de vidro para ver se avistava Carolyn, mas o quarto estava vazio. De repente a maçaneta porta da sua casa de banho privada rodou e Carolyn entrou de repente. Dave desviou-se rapidamente encostando-se á parede para não ser visto. Carolyn dirigiu-se à sua cama para voltar a dormir, mas tal como Dave, não conseguiu adormecer dando voltas e voltas na cama.

 Dave viu os números iluminados do relógio electrónico na mesa-de-cabeceira de Carolyn que indicavam as 2:13h. Era bastante tarde e como alguém em casa podia dar pela sua falta não perdeu tempo e pôs-se em cima da vedação da varanda para saltar para a árvore e voltar para casa. Carolyn levantou-se mas não acendeu a luz do candeeiro e guiou-se apenas pela luz do luar, e foi ao encontro da varanda para apanhar ar. Dave como Carolyn não acendeu a luz não deu conta do acontecimento inesperado por isso continuou despreocupado. Carolyn começou a abrir a porta lentamente quando Dave ouviu o barulho da porta. Sem ter tempo para pensar em outra solução, pendurou-se pelas duas mãos na vedação para que Carolyn não o descobrisse. Não podia saltar porque Carolyn podia ouvir algo e também porque a distância entre os seus pés e o chão era muito grande. Carolyn estava com uma camisola de alças com que dormia. E como Dave estava a vê-la de baixo, não se soube controlar e viu o seu peito. Estava com as hormonas a subirem-lhe à cabeça e resolveu olhar para baixo. Carolyn resolveu pousar as mãos na vendação para se apoiar quando pousou as suas mãos delicadas mesmo em cima das mãos já suadas de Dave. Carolyn assustadíssima olhou devagar para baixo com receio e assim que viu Dave, gritou o mais alto que podia mas de ter tentado gritado tão alto que a sua voz não saiu. Dave ficou paralisado a olhar a cara de pânico de Carolyn, e decidiu voltar a pôr os pés no chão naquela varanda agora tão importante na história de ambos. Dave subiu cheio de dores nos músculos dos braços de estar todo esticado imenso tempo. Carolyn assim que viu Dave recuou devagar até à parede, olhou-o nos olhos e perguntou embasbacada:

- Estás aqui a fazer?

 

 

 

 

 

Curiosas??? hã, hã, hã? 

sinto-me: É agora..............!!!!
publicado por Anna às 00:27
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Vida de Carolyn: Two Love...

. I'm back

. Vida de Carolyn: Two Love...

. Vida de Carolyn: Two love...

. Vida de Carolyn: Two Love...

. Vida de Carolyn: Two Love...

. Vida de Carolyn: Two love...

. Divulgação e conversinha ...

. Vida de Carolyn: Two love...

. Vida de Carolyn: Two love...

.arquivos

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

blogs SAPO

.subscrever feeds